sábado, 11 de dezembro de 2010

Achado não é roubado!

Há tempos achei este texto em alguém e esse alguém não se importa que eu o transcreva por certo.


"Eu queria ver-te.
Eu pensava em ver-te.
Eu precisava de te ver.
Eu pensava em ti todo o dia, quando me ia deitar e quando me levantava.
Eu tinha de te ver!
Eu estive contigo e muitos estiveram connosco. Falamos de muita coisa, rimos, disparatamos, eu vi-te sorrir. Isso bastou, arrebatou-me por completo naquele momento. O momento que fica cristalizado na mente rotulado de perfeito se é que tal coisa existe.

Ciúme.
De tudo, de todos. Queria ter-te só para mim, por uma vez que fosse, ter-te só para mim. Ter alguém só para mim.
Ciúme parvo do copo que toca a tua boca, ciúme parvo daquela pessoa que abraças porque o abraçado não sou eu.
Tão parvo é o ciúme como a sensação que nos invade quando conscientes do quão enciumados estamos.

Então porquê este nó na garganta? Porquê este aperto no coração? Porquê a tristeza de te ver partir sabendo que sou apenas mais um?
Porque é que tinhas de te tornar mais do que uma simples conhecida/amiga/colega?
Porque é que fizeste que o meu coração saísse do cantinho onde estava arrumado e onde não me dava problemas?
No fundo tu não tens culpa. Essa é a verdade…apenas me sorriste e eu tremi, eu fiquei sem saber o que fazer ou pensar. Não devia ter acontecido.
Acho que não fui feito para isto.
Fugir?! Talvez…se calhar é o melhor, tentar evitar algum sofrimento e acima de tudo evitar que eu te cause algum, qualquer que ele seja.
Esquecer, verbo tantas vezes conjugado que se torna um hábito, uma protecção." 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

domingo, 24 de outubro de 2010

O fim de mais um capítulo!

A vida é feita de fases, capítulos, páginas, etc. 

Cada chama-lhe como quer. A minha tem sido feita de diferentes capítulos claramente definidos no tempo e no espaço. 

Mudanças. Casa nova. Cama nova. Novos lugares. Novas rotinas. Novas pessoas. Novas amizades. Novos segredos. Novas cumplicidades. Fim!


Recomeçar!


Tem sido assim. Mas até no meio da constante mudança instala-se uma rotina. Uma rotina que custa cada vez mais com o avançar do tempo. A rotina dá-nos segurança, conforta-nos porque sabemos com o que contar. Mas até isso acaba e é preciso recomeçar.


Tem sido assim. Não custa menos por isso.


Agora consigo perceber melhor o que algumas pessoas me diziam sobre ser difícil partir e deixar quem está. Para mim sempre tinha sido um processo relativamente simples porque sabia que facilmente podia voltar aos sítios e rever as pessoas, quando assim não é as coisas ficam mais complicadas.


Talvez seja por isso que há quem diga que sou totalmente despegado de tudo e todos e que renego os sentimentos e emoções. Torna tudo muito mais fácil, não quer dizer que seja verdade mas cada um pensa o que quiser. 


Torres Novas e a AICEP foram mais um capítulo. Acabou. 


As pessoas que conheci devem saber que não é assim de ânimo leve que me vou embora. 
As pessoas que conheci devem saber que eu não tenho memória curta e que não me esqueço delas e da nossa convivência.
As pessoas que eu conheci devem saber que, se me conhecem um bocadinho que seja, eu não as esqueço.


Não tenho jeito para despedidas nem palavras de despedida mas tento fazer o meu melhor :P


A coisa engraçada dos capítulos é que podem sempre ser revisitados!


E pode já estar um novo a caminho...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Coisas importantes...

Ora estes dias fui ao supermercado, aquele francês, o dos mosqueteiros, estão a ver?!

E reparei que na entrada tinha dois cartazes na forma de dois tipos. São do tamanho de uma pessoa normal e envergam umas camisolas um bocado ranhosas. Um deles tem escrito na camisola "Senhor Útil" e o outro "Senhor Agradável".

Ia eu sossegado nas minhas compras quando me deparo com este conflito interior:

"Ora bem, o senhor útil e o senhor agradável. Bem, se um é útil não deve ser agradável e se um é agradável não deve ser útil.

Pois bem, então temos um senhor útil que é desagradável e um senhor agradável mas que é um inútil!"

E estes gajos ainda gozam com os hipermercados do "Ti Belmiro" por usarem o "Tony das Camionetas".

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Duas velhotas!

Parece título de anedota e até nem anda longe.


Hoje de manhã ia eu, como de costume, sossegado no autocarro para o escritório. Até aqui nada de novo.


O autocarro ia cheio de malta da 3ª idade, também aqui nada de novo.
O engraçado foi o seguinte.


A meio da viagem uma velhota, que já vinha a demonstrar tiques daqueles "emigras" em França (típico "avec"), diz para o motorista:


"- Oh senhor motorista, o senhor podia-me era deixar aí na prochaine!"


Aqui entra a velhota que seguia ao lado dela:


"- Uma ganda prochaine tinha a tua avó! Fala em português faxabor!"






Ora toma lá! Eu não teria dito melhor. Ah grande mulher!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Burros

Elas gostam deles burros!

Eu começo a chegar a esta triste conclusão. A sério, já o disse a algumas pessoas: de que é que vale um tipo saber umas coisas, ter lido um livreco ou outro, ler um jornal ou outro, de que vale ter opiniões formadas, de que vale ter personalidade?!

Se calhar vale pouco...eu acho que está tudo sobrevalorizado. É como o que eu já disse do que o que conta é o interior, do querem homens que as façam rir, da atitude, etc. Tudo frases feitas que espremidas pouco significam. 
Esta da atitude um dia destes ainda merecerá um post, muito gostava que me explicassem isto. Adiante.

Eu não sou nenhum génio, nenhum intelectual nem um gajo altamente culto mas, também não sou assim tão básico. E que é que eu ganho com isto?! 

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Confusões

Ando confuso. Honestamente não sei bem o que pensar em relação a muitas coisas da minha vida. 


Há algum tempo que não me deparava com certo tipo de dúvidas na minha cabeça, não sei o que fazer. Eu nunca fui bom a lidar com sentimentos e emoções, quer dizer, normalmente atiro-os para um canto da minha cabeça e mantenho-os por lá até me esquecer deles ou me deixarem de atormentar. Habituei-me a viver sossegado no meu canto, imune a sentimentos e emoções nos fazem ensandecer, resumidamente: sozinho.


Eu não acho que haja mal algum em uma pessoa se habituar à solidão. Como em tudo na vida, o ser-se solteiro e desimpedido tem as suas vantagens e desvantagens. Mas há dias que nos fazem questionar tudo e mais umas botas. Há dias que me fazem duvidar de mim próprio e do julgamento que faço das pessoas e situações. Mas é confortável viver e estar assim: conto só comigo, não tenho o que me prenda onde quer que seja, decido onde vou sozinho, não tenho satisfações a dar, etc.


Há anos que é assim, há anos que estou de cabeça limpa e de coração sereno e, apesar do que alguém me disse , não vivi dentro de nenhuma gruta!!! (o triplo ponto de exclamação justifica-se plenamente) 


Mas, há sempre um mas, algumas coisas mudaram. Por fora e para quem interessa, nada mudou e nada se passa. Mas há alguma coisa a remoer. Há qualquer coisa que me faz ir pensando, qualquer coisa que me inquieta. Para algumas pessoas esta inquietude é boa, dá alegria, fá-las viver e dá-lhes adrenalina. Comigo é o contrário. Não é bom, é angustiante, torna-me inquieto e nervoso. Não gosto disto e não sei o que fazer.


Acho que começa a ser hora de procurar novas paragens. Este período de férias pode ser que me ajude a clarificar as ideias e a ficar menos confuso.


Post confuso?! Pois é isso...

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Fama

A minha vida é feita destas coisas, ter a fama e não ter o proveito. Para dizer a verdade é no mínimo...aborrecido.
Como diria esse sábio que é Fernando Rocha: "Bira porca, benha outra!"

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Tunísia

Ontem, por acaso, vim a reparar que no fim-de-semana fez um ano que voltei de lá.  Custou e ainda me custa ter voltado...se calhar poderia ter feito mais um esforço para continuar, se tivesse tido outras opções seria diferente, se, se se! O mundo está feito de "se's" e esses já lá vão.

Ficam as saudades de com quem lá estive, de quem lá ficou e dos lugares!

O regresso até já aconteceu graças ao convite de um grande amigo, a quem estou a dever uma série de copos :P, mas foi curto. A ver vamos quando há nova oportunidade de voltar.
Ficam as saudades...

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Pork Chop

Olá!
Ora andava eu por essa Internet afora quando me lembrei de escrever algo no Google e esperar pelas sugestões. 
Eu escrevi simplesmente "why" e o Google, entre outras coisas, sugeriu "why are portuguese called pork chops". Foi logo o que eu escolhi a ver o que raio era isto.

Ora deparei-me com isto do qual destaco:

"Pork Chop is a slang word referring to Portuguese people. It is not offensive to call someone of Portuguese decent a Pork Chop because it is considered humorous and endearing. Portuguese people refer to themselves as Pork Chops all the time and it has nothing to do with overweight women. portugues people are very laid back and friendly. Men are extreemly sexy and romantic and will do anything for his family and loved ones. Portuguese women are beautiful inside and out and are very strong willed. They are forgiving people but they never forget especially when they are wronged. The only real offensive thing you could say to a Portuguese person is that they are spanish..they are NOT spanish. Learn geography bc im tired of people saying that Portugal and Spain is "the same thing" If you do call a portuguese person spanish the only responce you'll get is "Fuddas Careyu!"
"My boyfriend is the most amazing man in the world..I love my Pork Chop""

É caso para dizer: Fuddas Careyu!!!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Saudades!

Saudade - a word that no other language has and that sums a whole set of feelings and memories, sometimes good sometimes bad...

I was just checking the photos that my friends updated on Facebook and this Portuguese feeling of "saudade" just got me... I really miss Tunisia and the friends I left there!

Sorry I wrote this in English but this post is especially for all of them! 

sábado, 12 de junho de 2010

Torres Novas

A verdade é que a preguiça me atacou e a procrastinei como se não houvesse amanhã e nunca mais escrevi sobre esta nova aventura.
As voltas do destino (corny alert) trouxeram-me para aqui. Na verdade foi mais alguém dos Recursos Humanos da AICEP que decidiu mandar-me para aqui. Confesso que nunca pensei vir cá parar tendo em conta das possibilidades que existiam: Faro, Sines, Évora, Coimbra, Guarda, Viseu, Covilhã, Aveiro e Bragança.
A cidade não é grande mas está bem bem cuidada mas, falta-lhe alguma vida. E já agora uma estação de comboios onde parassem Inter-Cidades e Pendulares com fartura, mas já é pedir um bocado. Ah, também dava jeito ginásios mais baratos que isto aqui é carote!!!
Eu tenho de agradecer publicamente à Lilits a ajuda que me deu e vai dando por aqui. Eu não conhecia aqui mais ninguém e ela deu-me uma ajuda enorme quando procurei casa e foi por causa dela que por acaso encontrei os meus actuais aposentos, casa bem gira por acaso. Tenho tudo o que um gajo solteiro precisa: cama (duas até), sofá, frigorífico, uma TV altamente e mais uns extras!
Entretanto fui travando conhecimento com a juventude lá dos gabinete contíguos ao meu e já não faço cara de parvo quando falam no CCV, na Emotion ou no Seven (bar e discotecas).
Não há muitas novidades a contar mas já vi umas coisas curiosas, a saber: um Hummer H2 amarelo (o carro já de si sobressai e então amarelo :P), um Hummer H2 a GPL (como diz a Lilits: tem guita e consciência ambiental) e uma guitarra eléctrica da Hello Kitty!!!

O que conta é o interior!

Isto o que é?!
Uma mentira, uma mentira piedosa, uma mentira deitada ao vento e que se espera que os tolos a papem. Não passa de um chavão que as pessoas dizem quando na verdade não querem admitir nem enfrentar a sua superficialidade.
A resposta que mais me aptecia dar a esta frase e que, por decoro e algum respeito não dou, é: “Por favor! Não me fod#*, pelo menos desta maneira!”
Vá, admitam! Estão-se bem a cagar para o interior, o que interessa é que seja interessante ao olhar, agradável ao toque e saboroso no gosto…

sábado, 24 de abril de 2010

Torres Novas

Torres Novas é o próximo destino!
Eu nunca estive em Torres Novas por isso isto é tudo uma estreia. Estrear um emprego (já explico), uma loja (também já explico) conhecer mais uma cidade. Muita coisa a processar ao mesmo tempo.

Eu disse que ia estrear um emprego porque eu, e os meus colegas das restantes lojas, vamos dar início a uma nova actividade de apoio a empresas. Ok, na sua génese isto não é tão novo quanto isso, mas nestes moldes é a primeira vez. E vamos para uma loja, no sentido mais lato do termo.

A expectativa é grande e...povo de Torres Novas: sejam simpáticos sff! :D

sábado, 17 de abril de 2010

Recomeço de emissões regulares!

Olá!
Há coisas curiosas nesta vida. Parei de escrever na altura em que saí da Tunísia e voltei a Portugal. O facto de ter voltado, ainda que por poucos dias, à Tunísia coincidiu com outros acontecimentos que irão levar a que recomece a escrever.

Na Tunísia se acaba, na Tunísia se recomeça....