terça-feira, 19 de junho de 2012

Memória sensorial


Se não estou em erro a memória sensorial é, por exemplo, um cheiro que nos faz recordar alguma situação que por qualquer motivo nos marcou.

Aqui há tempos quando veio calor com fartura e deu para ir à praia, recordei um dos meus cheiros preferidos e que melhores memórias me traz.  Adoro o cheiro que fica na pele e na roupa depois de um dia de praia. O cheiro do sal do mar misturado com areia e o protector solar. É uma mescla estranha?! 
Alguns acharão que sim mas eu adoro. Traz-me tão boas memórias de infância, adolescência e já de idade adulta.

Ir à praia é sempre motivo de festa para mim. Ir à praia é das coisas que mais gosto de fazer na vida e que mais feliz me deixa. Sozinho ou acompanhado, o que eu gosto é de meter os pés na areia e atirar-me para o mar.

A minha pancada chega a pontos caricatos. Por exemplo: quando soube que me ia ter de mudar para a Tunísia (razão primordial para a criação do blog) eu fiquei tristíssimo e tão em choque que nem conseguia visualizar onde é que o país era mas, quando cheguei a casa e fui ao Google Maps, fiquei muito mais satisfeito porque ia ficar a viver na costa com o mar ao meu lado.
O cheirinho a mar que se entranha na pele no fim de um dia na praia é algo único.

Será que sou o único? Espero que não, isto quase parece uma cena meio fetichista :P

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Cada tiro...

...cada melro, como diz o povo.


Mais uma nega, mais um falhanço, mais uma frustração.


Isto vai bonito vai. Vai uma bela merda!

terça-feira, 29 de maio de 2012

Estranhas sensações

Ando com a estranha sensação que há uma série de pessoas que estão zangadas/aborrecidas comigo e eu ainda não percebi bem porquê.


Há uma pessoa que decidiu afastar-se completamente de mim e aí tive uma ponta de culpa. Arrependo-me todos os dias mas o facto de querer tentar corrigir um erro e realmente precisar da amizade dessa pessoa não chega. Entristece-me muito e parte-me o coração mas também mais não posso fazer.


As outras pessoas que me dão a sensação de estarem de mal comigo é que ainda estou para perceber que mal é que eu fiz. Se calhar está tudo na minha cabeça e eu é que estou a fazer filmes e a imaginar coisas, mas acho estranho...


Não sei se o facto de ter estado a viver fora uns tempos habituou as pessoas a não me terem por perto e por esse facto ignorem, propositadamente ou não, a minha presença por estes lados.
Sinceramente às vezes sinto-me persona non grata por estes lados.


Chateia-me um bocado ser o gajo que esteve sempre lá, sempre presente, sempre disponível para as pessoas e que o contrário quase nunca seja verdade ou se aplique.


Se calhar está tudo na minha cabeça, se calhar não...às vezes as minhas conjecturas até são verdade.


Isto ajuda a que a vontade de ir de novo embora cresça todos os dias, se a oportunidade ao menos surgisse... 

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Poetry

Encontrei esta imagem e, para além de ter certa piada, até me identifico com o 'poema'.



Found it here.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Esta descobri hoje...

Ouvi dizer que os Mesa mudaram de vocalista. 
Tenho pena porque gosto muito da banda e da voz da Mónica Ferraz.


Esta música é do novo álbum dos mesa ainda com a voz da antiga vocalista.


Gosto muito.


segunda-feira, 9 de abril de 2012

To my friends and anyone else to whom it may concern


It has been a month since I came back from London and today I decided to write a post in English so, if they want to, my friends that don’t know Portuguese can read it as well.

The fact that I’m writing this precisely one month after my return is not on purpose, it’s just a coincidence. There is no hidden meaning in this post, just to be clear.

It’s not easy to be back. It’s not easy to deal with all the feelings that I have inside. It’s not easy to fake a smile. It’s not easy!

I haven’t talked a lot about how I feel with this situation because it’s not easy and I don’t feel very comfortable. I also have the feeling that people are not that interested in listening to it.

Sometimes it’s better to keep things to myself anyway.  

I left London and some friends there. I wanted to do so much more, to see a lot more stuff, to live more. I didn’t do it for many reasons but, looking on the bright side, there is a lot to do if and when I come back!
The people that I’ve met in London and that I consider to be my friends will always have a special place in my heart even if the feeling is not mutual (in some cases probably it isn’t). I really miss them. It breaks my heart that I can’t knock on their doors and talk to them or text them and meet somewhere in London.  They can’t imagine how I need them right now...
I don’t verbalize it a lot but I really miss you!

I won’t list names because it could be unfair to someone and I don’t have the right to expose anyone’s name. Just be sure that I care about you.

I hope we can all meet again one day in London!

This one year period in London was very special. One of the best years of my life and a very cool story to tell my niece when she grows up.  I just hope she can be proud of me somehow and that she succeeds in everything I failed.
There have been some days that I think that this London adventure was one of the biggest mistakes I’ve ever done but, as I once said to someone about other event, if it was a mistake it was one of the best mistakes I’ve ever done and I would do it all over again!

I returned to Portugal, to my family and friends. As I referred above, it hasn’t been easy. I’m re-adjusting, returning to old habits and places.  
My life is in standby while I’m struggling to keep my shit together and put it again on track.
I try every day, I still have hope, and I need to keep believing it is possible to have a better life.
I’m looking for the next adventure, for the next chapter for this blog.

domingo, 11 de março de 2012

sexta-feira, 9 de março de 2012

O fim de mais um ciclo

Londres: por agora é tudo.


Agora não me apetece escrever muito mas parto com saudades. Saudades dos sítios e de algumas pessoas. saudades do que não fiz e não vi. 
Parto com a promessa de voltar porque isso de não se voltar aos sítios onde fomos felizes é regra que eu não sigo.


Cheers!

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Coisas da vida

Ando com alguma vontade de escrever, não sei bem é o que escreva aqui.

Isto é um espaço para ir relatando algumas das minhas aventuras e desventuras, por onde vou andando, o que vai acontecendo, etc., mas a verdade é que às vezes até tenho medo de falar nas coisas não vá ser mau agoiro. Com a sorte com que eu ando é melhor ter cuidado porque, entre cair na banheira e ficar preso na neve já aconteceu de tudo um pouco.

A minha vida está em suspenso por assim dizer. Estou numa fase de transição em que muita coisa se vai decidir. Normalmente isto não me assustaria mas a verdade é que tenho algum receio e por vezes é complicado levar com tudo em cima sozinho. 
Quero e preciso dar um rumo à minha vida, deixar de adiar o que quero fazer mas nem tudo depende só de mim.

Fazem-me falta algumas pessoas. O falar ao telefone ou na Internet não chega, não é a mesma coisa, faz-me falta o toque. Nós os latinos temos muito esta coisa de tocar nas pessoas, agarrar, beijar e alguns estrangeiros ficam algo chocados. Mas como dizia o Pessoa: primeiro estranha-se e depois entranha-se. É ver depois a "estrangeirada" aos beijos e abraços quando vêm os 'tugas'.

No fundo, saudades! Haverá coisa mais Portuguesa?!